NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum NovaCrítica-vinho.com
Forum de Discussão
 
 FAQFAQ   PesquisarPesquisar   MembrosMembros   GruposGrupos   RegistrarRegistrar 
 PerfilPerfil   Entrar e ver Mensagens ParticularesEntrar e ver Mensagens Particulares   EntrarEntrar 

Restaurantes "leva a tua garrafa"
Ir à página 1, 2, 3, 4  Próximo
 
Novo Tópico   Responder Mensagem    NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum -> Gastronomia
Exibir mensagem anterior :: Exibir próxima mensagem  
Autor Mensagem
falcao



Registrado: Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2002
Mensagens: 5553
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 2:17 pm    Assunto: Restaurantes "leva a tua garrafa" Responder com Citação

Ou seja uma tradução caseira do espírito muito anglo-saxónico - BYOB (bring your own bottle). Vulgares nos USA e em menor grau em Inglaterra (sobretudo porque nestes países as leis de venda de álcool são especialmente restritivas, e as taxas muito elevadas), que eu saiba não existem em Portugal.

E o que é que são os restaurantes BYOB? Simplesmente restaurantes que permitem que o cliente leve a sua(s) garrafa(s) de vinho para o restaurante e as consuma lá, mediante o pagamento de uma pequena taxa, a chamada taxa de saca-rolhas (paga o serviço, o uso dos copos, etc), taxa essa variável entre restaurantes.

Pensam que a sua implementação seria possível em Portugal?
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
José Tomáz Mello Breyner



Registrado: Quarta-Feira, 27 de Novembro de 2002
Mensagens: 5472
Localização: Estoril

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 2:34 pm    Assunto: Responder com Citação

Caro Falcão


Tenho algumas duvidas do sucesso deste conceito em Portugal. Somos demasiado comodistas e conservadores para isso.


Um abraço

JTMB
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
João Geirinhas



Registrado: Quinta-Feira, 13 de Março de 2003
Mensagens: 190
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 3:54 pm    Assunto: Restaurantes Leva a Tua Garrafa Responder com Citação

A uma escala muito limitada eu já aplico esse conceito muitas vezes. Tenho o cuidado de perguntar previamente se posso levar garrafas de modo a qua não haja surpresas desagradáveis frente a frente.

É claro que deixo entendido, nesses casos, se eles não permitirem, escolho outro restaurante.

Talvez o facto de trabalhar na RV me dê algum argumento suplementar pois explico que temos umas garrafas para provar que ele não tem na lista... E no final tento sempre fazer um pouco de pedagogia incentivando o dono a provar também o vinho e a dizer o que pensa.

Mas concordo que este sistema será dificil de implantar cá. Se muitos dos profissionais do ramo assumem para quem os quer ouvir que é no vinho que eles ganham a maiores margens, este sistema cheirar-lhe-á sempre muito a esturro.
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
mlpaiva



Registrado: Quarta-Feira, 30 de Outubro de 2002
Mensagens: 4961
Localização: where the streets have no name ;-)

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 4:00 pm    Assunto: Responder com Citação

Até ontem de madrugada este site estava flat. Agora às 14:58 TMG muitos temas fervilham... Não tenho, agora, tempo sequer para uma leitura em diagonal e traço interrompido.

José Tomáz Mello Breyner escreveu:
...Tenho algumas duvidas do sucesso deste conceito em Portugal. Somos demasiado comodistas e conservadores para isso...

Mas a este post, meu caro JTMB, tenho de responder enquanto não arrefece; o problema é o inverso: a grande maioria dos restaurantes deste país não aceita que os clientes levem vinho ou sobremesas.

E porquê? Fatia importante da invoice?
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
Rui Miguel



Registrado: Segunda-Feira, 16 de Dezembro de 2002
Mensagens: 601

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 4:35 pm    Assunto: Responder com Citação

Grande Paiva, não podia estar mais de acordo consigo! Quantos restaurantes permitiriam que os seus clientes levassem a sua garrafa de vinho? Se calhar, até podiam permitir, mas arranjariam algum artifício para compensar a perda .... como por exemplo a inclusão de uma taxa tão elevada desmobilizaria logo os potenciais interessados!

Ou aumentava os preços das refeições:

Preço da refeição com vinho do restaurante: X

Preço da refeição com vinho trazido pelo cliente: X x 100%

Confused Crying or Very sad Shocked :twisted:
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Usuário
falcao



Registrado: Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2002
Mensagens: 5553
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 4:53 pm    Assunto: Responder com Citação

mlpaiva escreveu:
Até ontem de madrugada este site estava flat. Agora às 14:58 TMG muitos temas fervilham... Não tenho, agora, tempo sequer para uma leitura em diagonal e traço interrompido...


Tem toda a razão, Luís Paiva! Realmente este fim de semana o site esteve particularmente parado.
Eu estive fora o fim de semana quase todo, e pelos vistos fui acompanhado por muitos outros. Começou a competição (perfeitamente desleal diga-se de passagem) com o sol? Very Happy Rolling Eyes

Iremos ser abandonados, trocados, permutados pelos prazeres (para alguns onde não me incluo) da praia? Question Razz
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
falcao



Registrado: Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2002
Mensagens: 5553
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 5:07 pm    Assunto: Re: Restaurantes Leva a Tua Garrafa Responder com Citação

João Geirinhas escreveu:
... Mas concordo que este sistema será dificil de implantar cá. Se muitos dos profissionais do ramo assumem para quem os quer ouvir que é no vinho que eles ganham a maiores margens, este sistema cheirar-lhe-á sempre muito a esturro.


mlpaiva escreveu:
... o problema é o inverso: a grande maioria dos restaurantes deste país não aceita que os clientes levem vinho ou sobremesas.

E porquê? Fatia importante da invoice?


Rui Miguel escreveu:
Quantos restaurantes permitiriam que os seus clientes levassem a sua garrafa de vinho?


Pois, a mim parece-me que os três, João Geirinhas, Luís Paiva e Rui Miguel, tocaram no essencial da questão!

Poderão existir casos esporádicos de restaurantes que por amizade, conhecimento, interesse momentâneo, medo de perder um cliente influente, ou qualquer outra razão transijam e permitam que o cliente leve a sua garrafa de vinho... mas duvido que isso alguma vez se torne comum.

A perda de rendimento provavelmente será mortal para muitos restaurantes.
O que nos leva a pensar e a teorizar sobre o papel fundamental que o vinho tem na restauração, no papel quase indispensável para a sobrevivência financeira da restauração...
Sendo assim, e se a dependência é assim tão grande, a primeira recordação que me assalta a memória é uma famosa história sobre uma galinha dos ovos de ouro... não sei se me percebem!
Será que há demasiados restaurantes, demasiados profissionais do sector que desconhecem esta fábula? Não seria a altura de pensarem no assunto?

PS - Que não se entenda que toda restauração está no mesmo barco, que o não está. Estamos a generalizar, e como em todas as generalizações, as excepções acabam por sair prejudicadas...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
João Geirinhas



Registrado: Quinta-Feira, 13 de Março de 2003
Mensagens: 190
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 7:00 pm    Assunto: Restaurantes «Leva a tua garrafa» Responder com Citação

Eu não quero ser fundamentalista neste assunto e penso que se houver alguma pressão sobre os restaurantes, eles acabam por ceder. Claro que se o restaurante for daqueles que está sempre esgotado, esta capaciade de pressão perde-se um pouco. Mas se um grupo, por exemplo, os 5 às 8, fizer uma marcação para um jantar e colocar como condição que quer levar os vinhos, penso que a maioria acabaria por aceitar (embora contrariados) Experimentem!

Esta situação é semelhante à da história do vinho a copo. Só haverá avanços se houver pressão dos consumidores.

Já agora vem a propósito chamar a vossa atenção para uma interessante polémica que vinha esta semana no suplemento Fugas do jornal Publico. Para quem não leu conta-se em poucas palavras.

Na semana anterior o critico do jornal Nogueira Gil fazia uma critica a um novo restaurante do Porto chamado Foz Velha. A critica era elogiosa mas fazia-se uma observação num parágrafo para a limitação da carta de vinhos que consistia apenas nos vinhos das empresas que compõem o chamado grupo G7 (Aveleda, Aliança, Sogrape, José Maria da Fonseca, J.P. Vinhos, Esporão, Messias). Este parágrafo mereceu uma carta de resposta de Paulo Amorim da Aveleda e Presidente do G7 reclamando essa critica, dizendo-a injusta porque as empresas do grupo representam vinhos diferentes de todas as regiões, asseguram a diferença e oferecem um amplo leque de escolha. Diz também que a opçao do restaurante levou a que os preços fossem sensatos (presume-se que adquiridos por isso em condições especiais) e que isso mais os copos apropriados e o bom serviço correspondem ao que todos os enófilos andam à pedir há muito pelo que não se percebe a critica. O jornalista replica reafirmando a sua convicção que uma carta só com os vinhos dessas empresas com exclusão de todos os outros é limitativa dos direitos dos consumidores.

Comentários? Se calhar estava aí um restaurante em que se justificava levar uma garrafita....
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
José Tomáz Mello Breyner



Registrado: Quarta-Feira, 27 de Novembro de 2002
Mensagens: 5472
Localização: Estoril

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 9:44 pm    Assunto: Responder com Citação

Caros Amigos

Normalmente o que acontece, pelo menos nos establecimentos em que tenho sido responsável é esse pedido ser feito nos chamados serviços especiais, e em que os clientes me pedem para trazer o vinho devido a serem produtores, ou o vinho ser produzido pela tia ou prima, etc. Por norma não aceito este tipo de situações, e se o faço cobro uma taxa fixa por garrafa, e tem de ser um vinho que não tenha na carta, pois caso contrário argumento logo dizendo-lhes que também sou cliente deles.

Nunca me lembrei de pedir tal coisa em nenhum establecimento, apesar de ter familiares chegados que são produtores de vinho, porque sigo o principio de "não fazer aos outros o que não gosto que me façam a mim"

Ao contrário do que diz o João Geirinhas, não me sujeito a esse tipo de pressões e Graças a Deus não me tenho dado mal. Claro está que terei o maior gosto a exemplo do que faço com outro grupo de prova que me visita mensalmente, em autorizar os 5 a trazerem os vinhos para prova, caso um dia me honrem com a sua presença, mas encaro esta situação como uma "caturreira" e como uma promoção para o meu restaurante. O mesmo se aplica à revista de vinhos da qual sou leitor e assinante, mas isto são excepções.

Espero que compreendam que um restaurante vive da venda de comidas e bebidas, e sobre as vendas tem de pagar à cabeça 12% de IVA. Das suas margens tem ainda de pagar:

Pessoal
Renda
Àgua
Gás
Electricidade
Fardamentos
Equipamento
Material
etc etc etc

Corremos o risco de um dia destes pedirmos ao barbeiro para levar o shampoo, ou ao garagista para levar o óleo, ou ir à papelaria e pedir se podemos ler a revista de vinhos, e no final vir embora sem a comprar.

Quanto às sobremesas também pago ordenado ao pasteleiro para mas confeccionar, pelo que não vejo a razão para que os clientes as tragam.

Penso que o bom senso tem de imperar e há coisas que em principio não se pedem.

Espero que compreendam esta minha posição.


Um abraço


JTMB
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
joaquim



Registrado: Sexta-Feira, 7 de Fevereiro de 2003
Mensagens: 146
Localização: Setúbal

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 11:14 pm    Assunto: Re: Restaurantes «Leva a tua garrafa» Responder com Citação

João Geirinhas escreveu:
Na semana anterior o critico do jornal Nogueira Gil fazia uma critica a um novo restaurante do Porto chamado Foz Velha. A critica era elogiosa mas fazia-se uma observação num parágrafo para a limitação da carta de vinhos que consistia apenas nos vinhos das empresas que compõem o chamado grupo G7 (Aveleda, Aliança, Sogrape, José Maria da Fonseca, J.P. Vinhos, Esporão, Messias). Este parágrafo mereceu uma carta de resposta de Paulo Amorim da Aveleda e Presidente do G7 reclamando essa critica, dizendo-a injusta porque as empresas do grupo representam vinhos diferentes de todas as regiões, asseguram a diferença e oferecem um amplo leque de escolha. Diz também que a opçao do restaurante levou a que os preços fossem sensatos (presume-se que adquiridos por isso em condições especiais) e que isso mais os copos apropriados e o bom serviço correspondem ao que todos os enófilos andam à pedir há muito pelo que não se percebe a critica. O jornalista replica reafirmando a sua convicção que uma carta só com os vinhos dessas empresas com exclusão de todos os outros é limitativa dos direitos dos consumidores.


Existe uma definição económica para tal prática - cartel, política de cartel. Por sinal proibida e passível de sanções, caso consiga ser provada!
_________________
"Se a penicilina consegue curar os que padecem, o Sherry consegue ressuscitar os mortos" - Sir Alexander Fleming
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
mlpaiva



Registrado: Quarta-Feira, 30 de Outubro de 2002
Mensagens: 4961
Localização: where the streets have no name ;-)

MensagemEnviada: Seg Mai 05, 2003 11:20 pm    Assunto: Responder com Citação

José Tomáz Mello Breyner escreveu:
Quanto às sobremesas também pago ordenado ao pasteleiro para mas confeccionar, pelo que não vejo a razão para que os clientes as tragam.

Meu caro JTMB,

Quando falei em sobremesas referia-me, embora não o tenha especificado (ma faute) a uma circunstância bem específica: um mero bolo de aniversário para consumir em fim de festa (com ou sem velas e com ou sem a habitual banda sonora); a maior parte dos restaurantes são avessos a esta situação; sei-o pela pesquisa das minhas filhas que já têm uma lista dos que contemporizam (ou não).

José Tomáz Mello Breyner escreveu:
Penso que o bom senso tem de imperar e há coisas que em principio não se pedem.

Óbvio, mas devemos distinguir uma questão de norma de outra de excepção; até por acordo...

Mas estas situações excepcionais são marginais a um conceito possível:

"Traga o seu vinho e escolha o prato! Se não o trouxer, escolha um dos nossos..." Wink
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
José Tomáz Mello Breyner



Registrado: Quarta-Feira, 27 de Novembro de 2002
Mensagens: 5472
Localização: Estoril

MensagemEnviada: Ter Mai 06, 2003 9:48 am    Assunto: Responder com Citação

Meu Caro Paiva


Normalmente no caso que aponta nunca levanto dificuldades. Admito que possa vir a ser um sucesso a formula de BYOB embora eu pessoalmente seja demasido comodista para ir para um restaurante com a minha garrafa debaixo do braço, pois para mim ir comer fora é um acontecimento e diverte-me estudar a carta de vinhos, escolher o vinho, saboreà-lo, etc.


Um abraço

JTMB
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
falcao



Registrado: Quinta-Feira, 17 de Outubro de 2002
Mensagens: 5553
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Ter Mai 06, 2003 11:04 am    Assunto: Responder com Citação

José Tomáz Mello Breyner escreveu:
Por norma não aceito este tipo de situações, e se o faço cobro uma taxa fixa por garrafa, e tem de ser um vinho que não tenha na carta ...


Parece-me ser um argumento perfeitamente sensato.

Para mim o conceito subjacente ao BYOB não é propriamente o querer "furar" a cadeia normal de negócio (que é legítima e provavelmente fundamental). O conceito implícito reside em poder provar excelentes vinhos, muitas vezes exclusivos, raros, não disponíveis no mercado, eventualmente estrangeiros, tudo isto num bom ambiente e em conjunção com um excelente repasto. Esta ligação parece-me ser potencialmente produtiva, tanto para o cliente como para a restauração. Nunca será a normalidade, nem a regra, será sempre uma excepção. Não uma excepção no sentido que se fez "uma vez na vida", só para uns "amigos", mas algo que se pode proporcionar sempre que o cliente assim o desejar e que se cumpram os seguintes pressupostos:
- o vinho não exista na carta do restaurante
- seja paga uma taxa (razoável) pelas despesas e incómodos causados ao restaurante

E acrescento ainda outra regra, à laia de brincadeira, mas que pessoalmente tento cumprir escrupulosamente - o vinho deve ser dado a provar ao gerente/responsável/dono/escanção/o que quer que seja.
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
cheeseman



Registrado: Quinta-Feira, 9 de Janeiro de 2003
Mensagens: 137

MensagemEnviada: Ter Mai 06, 2003 11:09 am    Assunto: Responder com Citação

Caro JTMB, precisamente por esse comodismo que nos afecta a (quase) todos é que não vejo porque é que os restaurantes sejam tão avessos ao consumo de garrafas de vinho (obviamente não existentes na carta de vinhos, excepto em situações especiais) levadas pelos clientes, mediante o pagamento de uma taxa por garrafa.

É certo que os restaurantes "vivem" da venda de comida e bebida. No entanto, e na minha óptica, é perfeitamente legítimo pagar aquilo que for pedido por um qualquer prato num restaurante (afinal de contas é apenas questão de acharmos que o valor está perfeitamente enquadrado com a qualidade do prato). O que eu já não acho tão legítimo é que sejam cobradas comissões exorbitantes (já aqui referidas) por produtos onde não há valor acrescentado absolutamente nenhum, tal como a maior parte das bebidas e claro está o vinho (a não ser que o valor acrescentado seja a abertura das garrafas e servi-lo na mesa, mas penso que isso faz parte do serviço).

Até admito por hipótese que seja referido o caso dos bares e discotecas e dos preços cobrados pelas bebidas, mas até nessa situação temos de nos lembrar que aquilo que essas casas tem a a oferecer aos clientes é a possibilidade de tomar uma bebida num ambiente agradável e que aquilo que é "vendido" é precisamente todo este conjunto.

Aquilo que se passa hoje em dia nos resturantes é que o vinho (e restantes bebidas) é uma fonte de receitas tão válida como qualquer prato vendido, quando devia quando muito ser um complemento. Já foi sobejamente debatida a questão da distribuição (se não compras este também não te vendo aquele...) e as comissões praticadas por todos os elementos da "cadeia".

De qualquer das formas, e para rematar que desabafo já vai longo, aquilo que não é e nunca será legítimo é um restaurante ter com o vinho um lucro superior aquele que tem quem o produz sem "ter trabalho nenhum" (leia-se a questão do valor acrescentado) e absolutamente inadmissível considero argumentar essa situação com questões como electricidade, água, etc... (que tenho ouvido tantas vezes). Esses itens devem reflectir-se no preço daquilo que o resturante realmente vende (pratos).

Enquanto isto assim não acontecer aquilo que nos está a ser feito é um autêntico assalto à mão armada e cada vez me admiro menos com os consumidores que preferem ficar em casa, jantar com amigos e pelo mesmo preço (ou inferior) ter um melhor vinho à mesa.
Depois surgem os habituais queixumes... a restauração e o turismo estão mal... não há clientela... não há poder de compra...

Pudera!!!

Fique bem.
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Rui Miguel



Registrado: Segunda-Feira, 16 de Dezembro de 2002
Mensagens: 601

MensagemEnviada: Ter Mai 06, 2003 11:33 am    Assunto: Responder com Citação

Na linha do que o Cheeseman disse, há muito clientes que se começam a fartar de ir a um restaurante beber sempre um Monte Velho, Esteva, Porta da Ravessa, Grão Vasco, Fontanário e por ai fora.... os outros são caríssimos, um roubo... :twisted:
Por isso fiquemos em casa, para beber as bombas e quando formos ao restaurante bebemos água! Pode ser, assim, que mudemos alguma coisa Question
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Usuário
Mostrar os tópicos anteriores:   
Novo Tópico   Responder Mensagem    NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum -> Gastronomia Todos os horários são GMT + 1 Hora
Ir à página 1, 2, 3, 4  Próximo
Página 1 de 4

 
Ir para:  
Enviar Mensagens Novas: Proibido.
Responder Tópicos Proibido
Editar Mensagens: Proibido.
Excluir Mensagens: Proibido.
Votar em Enquetes: Proibido.


Powered by phpBB © 2001, 2005 phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB