NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum NovaCrítica-vinho.com
Forum de Discussão
 
 FAQFAQ   PesquisarPesquisar   MembrosMembros   GruposGrupos   RegistrarRegistrar 
 PerfilPerfil   Entrar e ver Mensagens ParticularesEntrar e ver Mensagens Particulares   EntrarEntrar 

Restaurante Tavares
Ir à página Anterior  1, 2, 3 ... 10, 11, 12
 
Novo Tópico   Responder Mensagem    NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum -> Gastronomia
Exibir mensagem anterior :: Exibir próxima mensagem  
Autor Mensagem
nuno61



Registrado: Quinta-Feira, 3 de Janeiro de 2008
Mensagens: 235
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Sex Out 30, 2009 6:28 pm    Assunto: Responder com Citação

Paulo Rodrigues escreveu:
mlpaiva escreveu:
In Vino Veritas escreveu:
(...) Reforçando o que atrás foi dito: a minha mesa era a unica em toda a sala do restaurante que continha portugueses...

Desde que a sala esteja cheia e que o projecto seja rentável, é um mal menor.


Eu diria que não é mal nehum.
Se, como já acontece em Espanha, conseguisse-mos alguns restaurantes de topo, com preços de topo, que se enchessem de estrangeiros, seria até muito bom.


Felizmente há estrangeiros. É a única maneira de manter os poucos restaurantes com qualidade e padrões internacionais em Portugal.

Cumprimentos
_________________
N Leitão
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Spice Girl



Registrado: Quarta-Feira, 4 de Janeiro de 2006
Mensagens: 6060
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Sex Jan 08, 2010 2:50 am    Assunto: Responder com Citação

Da última vez que lá fui estava cheio, e ainda havia um grupo na sala de cima. Tanto quanto dei por isso, tudo portugueses.

Escolhemos o Menu do Desassossego, e comemos o seguinte:

Cascais à beira mar, amêijoas, berbigão, mexilhão, gamba da costa, santola e ouriço do mar com sumo de maçã verde, algas e merengue de limão


Miragem de ostras "petrificadas" no deserto, creme de funcho com caril madras, rebentos, plantas e algas
Gostei muito. A casca, que acho que era de Mycryo, tinha uma textura que contrastava muito bem com a da ostras, e quando "quebrava" dava origem a uma explosão de sabor muito fresco. Muito bom.


A"horta da galinha dos ovos de ouro", ovo cozinhado a baixas temperaturas com aromas de terra
Muito bonito e muito bom.


As cores do Outono, pézinhos de porco de coentrada
Neste prato confesso que não consigo fazer uma avaliação isenta. Acho que o Zé Avillez correu um grande risco com outra interpretqação dos pézinhos de coentrada. Eu tinha comido uma versão anterior (a da paisagem alentejana), de que gostei muito mais do ponto de vista estético e de sabor. De modo que este não me deixou encantada. Se calhar sem o termo de comparação tinha gostado muito mais... mas tinha termo de comparação...


Na praia numa fogueira, salmonete assado com migas de choco com tinta e molhos dos fígados
Já conhecia uma versão menos trabalhada, acho a evolução positiva e gostei bastante.


O "cubismo" da carne de porco com ameijoas
Uma interpretação muito interessante da carne de porco com ameijoas. Usando novas técnicas, com uma apresentação muito bonita e sofisticada. Com um sabor forte e muito verdadeiro, mas com todos os sabores muito bem definidos, melhor que no original. Um prato que acho que tem tudo para agradar aos portugueses.


Serra da Estrela, queijo, banana e marmelada


O mistério da queijada de Sintra
Muito bonito, a queijada miniatura, o "pacote das queijadas" e coerente com o resto do menu. Gostei e achei que, em relação a uma visita anterior, se nota uma evolução muito positiva nas sobremesas, por si só e na coerência com o resto da refeição.


e para terminar...


Uma excelente refeição. A estrela foi muito merecida.
Todos os pratos com muitas referências à nossa cozinha, a sabores portugueses, o que na minha opinião é um ponto positivo, porque lhe dá personalidade. alma e originalidade. Mas também uma cozinha muito actual, com sabores muito limpos e bem definidos, com uma componente estética muito boa, recorrendo a novas técnicas, muito bem executadas e integradas no prato, não sendo elas o centro das atenções, mas contribuindo para valorizar o conjunto.

Parabéns ao Zé Avilez e a toda a equipa.
_________________
"Inquisitiveness was a key feature." Heston Blumenthal
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
Spice Girl



Registrado: Quarta-Feira, 4 de Janeiro de 2006
Mensagens: 6060
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Sex Mar 12, 2010 11:16 pm    Assunto: Responder com Citação

Voltei ao Tavares há uns dias, cerca de 3 meses depois da visita relatada acima. Algums coisas no menu já tinham mudado, outros pratos mantinham-se. Voltei a adorar a ostra petrificada, passei-me completamente com o ovo de ouro...

Em vez dos pézinhos de porco de coentrada havia mão de vitela com grão. Desta vez numa paisagem açoreana.


A paisagem alentejana dos pézinhos era linda, da última vez faltou aos pézinhos o "comer com os olhos". Desta vez voltei a ter uma paisagem linda. Adoro olhar para estas paisagens! Gosto de ver como o Zé Avillez transforma estes pratos pesados em algo leve e sofisticado. O sabor era óptimo, o grão muito pequenino (disse-me o Zé que era alentejano) muito saboroso e no ponto perfeito de cozedura. Adorei aquela bolinha preta que está no meio "uma trufa". É uma avelã, passada por jus de trufa e envolta em raspas de trufa.
Prado Açoreano, mõzinhas de vitela branca com espargos e trufa de Périgord

Apesar de ter gostado muito, acho que é correr um risco fazer pratos tão semelhantes. Há expectativas, termos de comparação... Mas este era muito bom.

O salmonete continua a ser o peixe do menu, mas como o tinha comido há pouco tempo foi-me sugerido trocar por:
Robalo escalfado a 54º com bivalves, algas e salicórnia em mar de prata
(Eu já tinha dado uma garfada no peixe quando me lembrei que não o tinha fotografado, arranjei tudo, tão direitinho quanto possível, para a foto, mas antes estava melhor.)
O molho sabia a mar, caldo do peixe e/ou bivalves espessado para lhe dar uma consistência de molho e polvilhado com um pó de prata. Muito bom!


Cabritinho da Serra da Estrela em duas cozeduras, puré de beterraba e alho, grelos salteados e crosta de pão com ervas e laranja
Gostei muito do puré de beterraba, o lombinho com a crosta estava com uma textura excelente, o resto do cabrito, embora bom, tinha uma textura menos macia. O conjunto é bom, a textura da parte enrolada do cabrito é que me parece que pode melhorar.


Eu voltei a comer a queijada de Sintra (a sobremesa do menu), quem comigo ia é mais fã de chocolate e comeu estes charutos de chocolate.


E no final, como souberam que quem comigo ia fazia anos, veio este simpático bolinho, num prato decorado com chocolate.


Mais uma excelente refeição, num restaurante quase cheio.

Parabéns!
_________________
"Inquisitiveness was a key feature." Heston Blumenthal
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
filipeandrato



Registrado: Quinta-Feira, 11 de Mai de 2006
Mensagens: 52

MensagemEnviada: Sex Mar 19, 2010 5:03 am    Assunto: Responder com Citação

cada vez mais, o Tavares rico e a sua equipa demonstram um trabalho bem valorizado com uma estrela michelin
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail MSN Messenger
Spice Girl



Registrado: Quarta-Feira, 4 de Janeiro de 2006
Mensagens: 6060
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Qua Mar 24, 2010 4:36 pm    Assunto: Responder com Citação

É sempre com muita alegria que vejo ser reconhecido o trabalhos dos nossos Chefes.

http://bestemergingchefs.wordpress.com/2010/03/23/8-jose-avillez-tavares-lisbon-portugal/

Parabéns Zé!
_________________
"Inquisitiveness was a key feature." Heston Blumenthal
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
Margarida Rodrigues



Registrado: Sexta-Feira, 11 de Novembro de 2005
Mensagens: 1405

MensagemEnviada: Seg Abr 19, 2010 12:45 pm    Assunto: Responder com Citação

De Carlos Maribona:

José Avillez en Tavares

Un año más, el mes de abril nos ha traído el congreso PEIXE EM LISBOA y con él la oportunidad de un recorrido por los sitios con más interés gastronómico de la capital portuguesa. Recorrido que comencé ayer mismo y que tuvo, como es habitual en los últimos años, su punto culminante en TAVARES. La cocina moderna y sensata de José Avillez, que sigue siendo el mejor de los cocineros portugueses, contrasta fuertemente con esa barroca decoración de dorados, enormes espejos y lámparas gigantescas de cristal que ostenta el restaurante de la Rua de Misericordia desde hace siglo y medio. Pero mientras la decoración sigue anclada en la historia, Avillez mantiene una evolución permanente con su cocina atrevida que profundiza en los productos y en el recetario portugués. Cocina en la que las presentaciones juegan un papel muy importante, pero también los sabores, siempre intensos, siempre bien nítidos. La verdad es que el año pasado noté un cambio más profundo, una ruptura importante con el trabajo anterior. En esta ocasión he visto más continuidad, con varios platos muy similares aunque siempre con algunas variantes. En cualquier caso, trabajo importante el del cocinero, que se ha visto justamente recompensado con una estrella Michelin en la última guía roja, y que sigue peleando contra viento y marea en una ciudad muy conservadora en lo culinario. Tanto, que la mayor parte de la clientela de Tavares no son portugueses sino españoles y brasileños, atraídos por esta cocina que está a la altura de la de cualquier restaurante moderno en España....


http://www.abc.es/blogs/gastronomia/
_________________
MR
http://www.facebook.com/pages/Lisbon-Portugal/Antiques-of-today/142434852461535?v=wall
http://beloura-ii.myminicity.com
God couldn't be everywhere, so He created mothers...
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Paulo Rodrigues



Registrado: Terça-Feira, 18 de Janeiro de 2005
Mensagens: 2585

MensagemEnviada: Seg Abr 19, 2010 9:08 pm    Assunto: Responder com Citação

Com a devida vénia ao prazeresdamesa.

Citação:


PONTO DE BALA
Por Alexandra Forbes (*)

Se há um chef em Portugal, hoje, que é notícia, ele chama-se José Avillez. Com meros 30 anos e nenhuma formação formal de cozinheiro, já pode gabar-se de ser apenas o segundo em Lisboa a ser estrelado pelo guia Michelin. Ferran Adrià, ao nomear dez nomes de chefs que são estrelas culinárias em ascensão no livro Coco – 100 Emerging Culinary Stars Chosen by 10 of the World’s Greatest Chefs incluiu... Avillez. Além disso, com sua chegada ao restaurante Tavares (fundado em 1784), no Chiado, veio o prêmio restaurante do ano de 2008, entregue pela Revista de Vinhos.

A ascensão tem sido tão meteórica quanto polêmica. Causa estranhamento, em alguns, a rapidez com que saiu do anonimato, e o fato de Avillez se alinhar não com seus conterrâneos, mas sim com a cozinha tecnoemocional de espanhóis como Quique Dacosta e Ferran Adrià. Cria pratos absolutamente modernos e provocantes, quase sempre com belo resultado (e nomes quase filosóficos, tais como miragem de ostras petrificadas no deserto, ou paisagem alentejana). Em visita a Montreal, onde serviu, por duas noites, menus-degustação como parte do festival High Lights, Avillez falou à coluna.

Você demorou a decidir ser chef. Como foi parar nessa profissão?

Quando era pequeno, queria ser carpinteiro e disse isso ao meu pai. Ele respondeu que como carpinteiro não se ganha dinheiro nenhum, que teria que ser arquiteto ou advogado. Advogado não queria, então naquele momento aos seis anos decidi o resto de minha vida, que seria arquiteto. Estudei arte, e no dia em que ia me inscrever na faculdade de arquitetura pensei: “não me apetece, afinal, ser arquiteto, vou fazer comunicação e marketing”. Fiz o curso numa universidade. Mas aí estudei prova de vinhos, comecei a querer cozinhar e decidi que seria chef. Abri um restaurante com um sócio e depois fui ao Brasil, fazer uma consultoria em Angra dos Reis. Mas era boa vida demais, eu tinha só 25 anos, ficava na ponte aérea Rio-Angra, me hospedava num casarão, ia e vinha de helicóptero. Pensei: “Ainda sou muito novo para isso, tenho muito ainda que trabalhar”. Resolvi ir embora, voltei a Lisboa, abri uma empresa de catering, depois fui estagiar três meses no El Bulli. Ao voltar, fui para o Tavares. E aí veio a estrela Michelin.

E o que muda, uma estrela Michelin?

Para mim muda pouco, mas é um reconhecimento do trabalho. Para o restaurante, as vendas aumentam 30% de um dia para o outro. Continuo a trabalhar com um nível de exigência cada vez maior.

Por que há tão poucas estrelas Michelin em Portugal?

Porque nosso mercado é pequeno e pobre. E porque a regularidade é muito, muito, muito fraca. As pessoas vão a um restaurante uma vez e está ótimo, na outra vez, não. Os chefs ficam seis meses nos restaurantes e já saem, muitos não estão em suas cozinhas e não têm uma equipe à altura. Tem gente que diz que há dez restaurantes em Portugal que deveriam ter estrela. Eu acho errado. O Tavares ganhou a estrela quando deveria, no ano anterior ainda não merecia. O guia existe para ajudar o consumidor a achar um sítio bom. E não pode dar uma estrela para um restaurante se não sabe se dali a seis meses o chef continuará lá.

Você é uma figura polêmica em Portugal: há chefs que pensam que seu sucesso veio rápido demais. Isso o incomoda?

Obviamente sei que tenho muito o que aprender. Mas a minha ascensão não fui eu só que criei, não foi só “culpa” minha. Acho que tem incomodado algumas pessoas eu ter ganho uma estrela Michelin, o restaurante ter sido o restaurante do ano, ter tido alguns críticos da Espanha a escrever de mim, enquanto os outros não tenham tido... Principalmente os mais velhos. Não gente como o Henrique (Sá Pessoa, do restaurante Alma, em Lisboa) que é da minha geração e está em minha sintonia. Incomodam-se os chefs a quem custou mais chegar onde chegaram. Acho ótimo ser polêmico, quer dizer que se está a fazer alguma coisa!


http://prazeresdamesa.uol.com.br/exibirMateria/2597/a-ovelha-negra-de-portugal
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
paixaodasilva



Registrado: Sábado, 17 de Mai de 2008
Mensagens: 553
Localização: a bela Lisboa

MensagemEnviada: Qua Ago 03, 2011 11:26 pm    Assunto: Responder com Citação

Já algum dos foristas teve experiências no "novo" Tavares?
Estou com curiosidade, não se tem ouvido falar nada...


Cumprimentos
_________________
Muitos têm jeito para fazer comida, mas poucos têm a sensibilidade de cozinhar.

"Alguns cozinheiros que se tornam célebres, esquecem-se do mais importante... trata-se apenas de cozinhar." Antoine Westermann
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Mostrar os tópicos anteriores:   
Novo Tópico   Responder Mensagem    NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum -> Gastronomia Todos os horários são GMT + 1 Hora
Ir à página Anterior  1, 2, 3 ... 10, 11, 12
Página 12 de 12

 
Ir para:  
Enviar Mensagens Novas: Proibido.
Responder Tópicos Proibido
Editar Mensagens: Proibido.
Excluir Mensagens: Proibido.
Votar em Enquetes: Proibido.


Powered by phpBB © 2001, 2005 phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB